Zero Gravity  
 
 

Darlan Rosa faz uma remontagem da instalação Zero Gravity, realizada em 2009, no Brookfield Place, o centro financeiro de Toronto, Canadá.
Trata-se de uma rua cujos lados são conectados por uma cúpula de aço e vidro. A estrutura foi projetada pelo arquiteto Santiago Ca;atrava.
Darlan criou também, especialmente para esta exposição na Casa Thomas Jefferson, pinturas digitais e esculturas de pequenos formatos.

"As peças apresentadas nesta mostra foram concebidas dentro de umcenário sem gravidade, invisivelmente codificadas como sequencias de 0s e 1s. O artista utiliza um software de animação 3D para a elaboração da realidade imaginada dentro do mundo dos computadores, ou realidade virtual. Dentro dos domínios da Gravidade Zero, Darlan articula matrizes positivas que podem ser (re)construidas no mundo tangível, apesar de nunca deixarem de existir como artifícios ou simulaculos. Darlan certamente se beneficia da habilidade com que as telas de computador transmitem similitude. No entanto, nesta fase, as produções de imagens não parecem ser preocupações prioritárias. os esboços virtuais são desenhados com uma caneta digital, que acompanha a mudança na arquitetura ao utilizar softwares equipados com os princípios do padrão de construção como uma ferramenta de elaboração. Dentro deste ambiente digital, mais importante, o artista gera uma série de instruções matemáticas que, uma vez lidas por outra máquina, produzem os objetos materiais com os quais ele faz arte."

Cristina Rosa

Galeria de arte Casa Thomas Jefferson - SEP Sul EQ 706/906 Conj. B | Brasília-DF
  home